26 de maio de 2015

Entrevista com as professores João Paulo Costa e Dayane Rossa

Autores do livro Manual da Conscin-Cobaia, publicado em julho de 2014 pela Editares, a editora da Conscienciologia concedem entrevista


Editor: Vanessa Mancino

“A técnica da conscin-cobaia espelha experiências vivenciadas durante o Curso Intermissivo (CI) e ao mesmo tempo prepara a consciência para visitar com maior holomaturidade as parapsicotecas das comunexes avançadas durante a intermissão”.

João Paulo Costa  &  Dayane

Sobre os Autores

joao e dayane

 

 

João Paulo Costa é psicólogo. Volun­tário desde 2000, dedicando-se a ges­tão, revisão de textos, verbetes da En­ciclopédia da Cons­cienciologia e Me­ganálise Verbetográfica. É pes­qui­sa­dor, docente e autor de vários artigos científicos da Conscienciologia. Atu­almente é voluntário da CONSECU­TIVUS (Associação Internacional de Pesquisas Seriexológicas e Holobio­gráficas) e um dos coordenadores da comissão AVA da CCCI.

Dayane Rossa é bióloga e mes­tre em Ciências Ambientais. Voluntária des­de 2003, dedi­can­do-se prin­cipal­men­te as áreas de gestão, docência e edi­torial. É pes­quisadora, docente e au­tora de vários artigos científicos. Au­to­ra do livro Oportunidade de Viver: Estu­do Sobre a Existência Humana e o Sen­ti­do da Vida e coautora do livro Aco­pla­mento Energético. Atualmente é volun­tária da CONSECUTIVUS (Associação Internacional de Pesquisas Seriexo­lógicas e Holobiográficas).

Sobre o Livro

A conscin-cobaia é a personalidade pesquisada, analisada, anatomizada e utilizada na condição de modelo de estudo em situação específica.

Os autores apresentam, de maneira clara e objetiva, o conceito da conscin-cobaia, inte­grando o fato natural das pessoas serem observadas ou examinadas enquanto potenciais expe­ri­mentos nos diferentes contextos da vida cotidiana, com a aplicação específica da técnica da conscin-cobaia voluntária.

O Manual da Conscin-Cobaia explana sobre a técnica da conscin-cobaia voluntária, procedimento promotor do autodiagnóstico consciencial, por meio de heterocríticas construtivas. Esta técnica grupal é aplicada por intermédio do Curso Conscin-Cobaia Voluntária do Conscienciograma, dentro da especialidade Conscienciometrologia.

A obra objetiva explicar de maneira minuciosa a técnica, mostrando suas características, os pontos mais importantes, as boas práticas e evitações, tanto para os participantes, quanto para a equipe de voluntários, monitores e docentes. Os autores utilizaram das suas experiências docentes na condução do curso, bem como na de conscins-cobaia, para colocar no Manual procedimentos básicos desta prática e a profilaxia das principais dificuldades observadas ao longo das suas vivências.

No Manual podem ser encontradas informações sobre procedimentos, otimizações e evitações na técnica, a estrutura do Conscienciograma, esclarecimentos sobre as autatribuições de notas, feedback, emissão e recepção de críticas, alguns fundamentos conscienciométricos e posturas de responsabilidade do conscienciômetra-docente na condução do Curso Conscin-Cobaia.

A técnica da conscin-cobaia é indicada às pessoas interessadas em fazer a profilaxia, correção do erro e a fixação do acerto. Fundamentada na autexposição, esta prática possibilita calibrar a autoimagem a partir do recebimento de feedbacks e heterocríticas cosmoéticas.

A priorização por parte do pesquisador na aplicação da técnica possibilita a reeducação recíproca, pois permite ao pesquisador perceber traços e manifestações pessoais que não consegue enxergar sozinho e, ao mesmo tempo, serve de exemplo para os compassageiros evolutivos motivados a dinamizar as renovações íntimas.

 

A Entrevista

O que motivou os autores a escrever o livro Manual da Conscin-Cobaia?

Resp.: Éramos professores do Curso Conscin-Cobaia na Conscius e tudo começou a partir da ideia de se ampliar a apostila fornecida a todos os alunos participantes. Nessa apostila, com 6 páginas, haviam algumas orientações de como o curso funciona, conceitos básicos de Conscienciometria além do cronograma das atividades do curso. Vimos que havia conteúdos conscienciométricos relacionados ao curso e a especialidade Conscienciometria, que seriam essenciais a serem inseridos no material didático. Daí surgiu a ideia de se fazer um livro em formato de manual técnico direcionado, não somente aos alunos, mas também aos interessados pela técnica que, por algum motivo, nunca participaram da atividade.

Aproveitamos também para colocar no trabalho, recomendações direcionadas aos professores e treinandos, voluntários da IC, para que o livro fosse também, material usado na formação e qualificação dos conscienciômetras docentes, preparados pela Conscius.

manual da conscin cobaia

Qual a origem da expressão conscin-cobaia e quando surgiu esta técnica?

Resp.: A expressão conscin-cobaia foi criada pelo prof. Waldo Vieira e o significado se refere a pessoa (consciência-intrafísica, conscin) que se predispõe a abrir seu microuniverso consciencial para a avaliação heterocrítica. A técnica foi apresentada pelo prof. Waldo na ocasião do lançamento do livro Conscienciograma: técnica de avaliação da consciência integral, em 1996. O livro é utilizado como condutor das principais perguntas feitas à conscin-cobaia, pois o(a) participante, antes do início da técnica, escolhe uma das 100 Folhas de Avaliação (FAs) do livro – cada FA é direcionada a um assunto diferente – para responder e fazer a autoaferição de notas. Durante a técnica, ele(a) responde as perguntas justificando cada nota autoatribuída.

A conscin traz seus exemplos de vida e conduta, tanto os positivos quanto os negativos, para que outras pessoas possam ajudá-la, na superação de seus problemas intraconscienciais (trafares e trafais), e na qualificação de seus talentos (trafores). Essa exposição serve de exemplo para todos os presentes. A técnica ajuda os participantes do experimento na evitação de erros e no desenvolvimento de novas habilidades, nas quais a cobaia fala de maneira aberta.

A conscin-cobaia é uma técnica exclusiva da Conscienciologia?

Resp.: Na maneira em que é apresentada, sim. Porém já existem, atualmente, algumas técnicas aplicadas pela Psicologia, nas dinâmicas de grupo, muito utilizadas em ambientes corporativos, com o intuito de melhorar o relacionamento entre os funcionários das empresas e aumentar a produtividade e eficiência.

É importante frisar que a técnica da conscin-cobaia tem base no Paradigma da Conscienciologia, e antes de tudo, a abordagem é interassistencial, multidimensional, multiexistencial e bioenergética. Na nossa visão não há nenhuma outra técnica com esses mesmos princípios balizadores. De maneira geral, outras metodologias apresentadas nas linhas das Ciências Humanas da Socin, envolvem basicamente a personalidade na condição física, mental e cerebral. Isso ainda é apenas uma parte da consciência, não é o holossoma. Quando se analisa os 4 veículos de manifestação (soma, energossoma, psicossoma e mentalsoma), admitidos pela Conscienciologia, estamos falando da consciência inteira, não apenas parte dela.

Como é realizada a técnica da conscin-cobaia?

Resp.: Os participantes, inicialmente, respondem a uma das folhas de avaliação do Conscienciograma – as quais contêm 20 questionamentos cada –, escolhida ao seu critério pessoal, aferindo notas e justificando tais pontuações. Lembrando sempre que a referência para a aferição das notas é a manifestação do Homo sapiens serenissimus, o Ser Serenão. Para facilitar a autoatribuição de notas, escrevemos um capítulo, especialmente com essa finalidade. Lembrando que o Conscienciograma, na parte introdutória, também tem orientações nesse sentido.

A técnica é voluntária, ou seja, nenhuma das pessoas presentes tem a obrigação de participar na condição de conscin-cobaia. São feitos sorteios para a definição de quem serão as conscins-cobaias, nos quais quem não desejar ser cobaia não precisa concorrer.

Normalmente é recomendado que a pessoa, inicialmente, leia a primeira das 20 questões apresentadas em cada FA, diga qual foi a sua nota e contextualize os motivos pelos quais se deu tal pontuação com base em fatos pessoais.

Em seguida, qualquer dos participantes, incluindo alunos, professores e equipe de monitores, pode começar a fazer perguntas a partir do que a conscin-cobaia traz ao grupo. Isso ajuda no entendimento da formulação da nota pela cobaia. Nesse momento, se a conscin-cobaia achar pertinente, pode fazer algum tipo de ajuste da nota, se avaliar determinadas opiniões externas, vindas dos outros participantes, como pontos relevantes, não ponderados por ele(a) mesmo(a) na autoavaliação junto ao Conscienciograma.

Esse é o ponto mais relevante na técnica, a chance de ouvir a opinião de outras pessoas com relação as questões de foro íntimo, muitas vezes, nunca antes expostas, não raro, mantidas guardadas por si, durante longos períodos da vida. Em outras ocasiões, são descortinadas crenças pessoais, jamais questionadas com lógica, anteriormente pela cobaia, ou até traços-força (trafores) que ela não havia percebido possuir.

A técnica da conscin-cobaia utiliza o mecanismo da autoexposição e muitas pessoas tem dificuldade com isso. Na visão de vocês porque isto acontece?

Resp.: É comum na Natureza Humana, dentro do campo das relações sociais, a manutenção de autoimagem pública idealizada, a vergonha, o constrangimento, o receio de ser considerado(a) diferente ou ainda o medo da exclusão. Em várias das experiências que tivemos em sala de aula, percebemos que em alguns dos trafares apresentados pelas pessoas durante a técnica, ocorre uma supervalorização do problema, ou seja, pelo fato de a conscin-cobaia ficar guardando por algum motivo aquela dificuldade, é comum que isso vá crescendo, e se transformando em um “monstro pessoal”, no qual, ela deseja que mais ninguém saiba, temendo algum tipo de represália. Esta condição funciona, então, como autoassédio.

Existem as situações nas quais a conscin-cobaia, realmente tem um determinado problema no qual, pensa que ninguém havia notado, e para seu espanto, as pessoas de convívio, não só já percebiam isso, como aceitavam sem maiores problemas. Tal fato, funciona como desdramatizador de autotrafares. No que diz respeito aos seus pares, essa pode ser a chance de se falar sobre o assunto abertamente à pessoa sem maiores melindres. Tudo vira um grande alívio.

Vocês poderiam explicar como a técnica da conscin-cobaia pode influenciar o participante?

Resp.: Sempre é dito no curso que todos somos cobaias e no Manual dedicamos um capítulo para isso, pois além da pessoa que coloca suas questões através do Conscienciograma, todos nos expomos fazendo perguntas à ela. Além do mais, pensando na interassistência, a conscin-cobaia ajuda aos participantes dando exemplos personalíssimos de vida, não imaginados ou vivenciados pelos outros.

Ocorre, dentre outros efeitos da técnica: a empatia, o fraternimo, o exemplarismo e uma maior intercompreensão. Isso é devido à Glasnost a qual o curso proporciona e o campo energético instalado na atividade pela equipin (equipe intrafísica) junto à equipex (equipe extrafísica), dos amparadores de função da atividade.

equipe conscious

Equipe da CONSCIUS no lançamento do Manual da Conscin-Cobaia – Tertuliarium, 19.07.2014.

Em síntese o que o leitor vai encontrar no Manual da Conscin-Cobaia?

Resp.: Preparamos a obra no intuito de divulgar e desdramatizar o Curso Conscin-Cobaia, que é comprovadamente um acelerador das recins pessoais. Gostaríamos que mais pessoas se dispusessem à participar da atividade, pois vimos durante os anos de experiência, que as pessoas saem melhores e mais conscientes do que quando entraram. Dependendo da postura de cada um, isso se extende para mais reciclagens íntimas após o curso.

Além disso, o Manual apresenta conceitos úteis a qualquer pessoa, a exemplo de: autodignóstico consciencial e conscienciométrico; auto e heterocrítica; e o aprofundamento nos conceitos de personalidade e de temperamento. Colocamos também alguns exemplos didáticos para a melhor compreensão sobre vários tópicos nos quais consideramos serem as dúvidas mais frequêntes nos cursos de Conscienciometria.

Vocês dois, na condição de autores, também são conscins-cobaias. Como foi escrever o livro a duas mãos?

Resp.: Realmente, todo autor publicado é uma cobaia. Nós, com esse trabalho, nos tornamos uma dupla evolutiva cobaia. Todos nós que vivemos em sociedade somos, de uma maneira ou de outra, cobaias umas das outras, é o princípio da educação recíproca e contínua. Na tares grafada, somos cobaias conscientes e com maior responsabilidade, pois nosso trabalho vai ficar, indefinidamente, marcado no tempo. Temos que ser teáticos e entendermos que em toda obra publicada, as críticas favoráveis ou não, são parte dessa cobaiagem e importa tirarmos proveitos disso também.

Consideramos que a nossa experiência na escrita do livro foi altamente produtiva. Nos concentramos e nos organizamos, de maneira que o desenvolvimento do Manual ocorreu com muito esforço e harmonicamente.

Pudemos perceber a atuação do amparo técnico de função em todo o processo. Somos conscientes de que, como houve ajuda extrafísica, podemos considerar que o trabalho tem potencial para ajudar outras consciências, e nos sentimos muito bem com isso.

jd

Ficha Técnica

Título: Manual da Conscin-CobaiaEditora: Editares │ Ano de Publi­ca­ção: 2014 │ Formato: 21 x 14 cm │ 200 páginas │ ISBN: 978-85-98966-91-5.

 

* Portal da Conscienciologia.


Veja mais Matérias

Entrevista com o autor da nova obra Antivitimização

O autor Cesar Machado fala de sua nova obra

Nova viagem internacional sobre a pesquisa da consciência

O voluntário e pesquisador Ulisses Schlosser irá para o Canadá para eventos científicos.

Entrevista com as professores João Paulo Costa e Dayane Rossa

Autores do livro Manual da Conscin-Cobaia, publicado em julho de 2014 pela Editares, a editora da Conscienciologia concedem entrevista

Produção da Graphic Novel Cons

Está em elaboração pela Confor Stúdio uma graphic novel baseada na obra Nossa Evolução

Entrevista sobre I Fórum dos Dicionaristas da CCCI

Curso visa dar alicerce teático básico para o planejamento, desenvolvimento e materialização de Gescons Dicionarísticas

II Encontro Internacional da Paz

IIPC realiza evento sobre Pacifismologia visando a construção do Pacificarium

Evento científico sobre Parapsiquismo

A coordenadora das dinâmicas fala sobre o evento da Parapercepciologia que comemora os 20 anos de CEAEC

Curso inédito sobre Parapoliticologia e Pré-intermissiologia

Curso sobre política, parapolítica, proéxis e a consciencioterapia

10 anos do Laboratório Serenarium

O laboratório Serenarium completou a marca histórica de 10 anos e recebe congratulações

Documentário conta a história de EM

Aberta a campanha para arrecadar fundos para a conclusão do documentário EM

Entrevista com o professor Cesar Machado, autor do livro Proatividade Evolutiva

O professor e autor Cesar Machado concedeu entrevista ao portal falando de seu livro

Lançamento do livro “O jardim de Alice”

A obra será lançada em comemoração ao dia da criança pela Evolucin

Entrevista com a pesquisadora Ana Seno, autora do livro Comunicação Evolutiva

Livro foi publicado pela Editares, a editora da Conscienciologia

Entrevista com a professora Dayane Rossa, autora do livro Oportunidade de Viver

Estudo sobre a existência humana e o sentido da vida.

Entrevista com a professora Dulce Daou, autora do livro Vontade: Consciência Inteira

Entrevista com Dulce Daou, autora do livro Vontade: Consciência Inteira

Entrevista com Julio Almeida

Entrevista com Julio Almeida, autor dos livros “Qualificações da Consciência” e “Qualificação Autoral”, publicados pela Editares, a editora da Conscienciologia

Livro Zéfiro

A autora, Mabel Teles, falou sobre a experiência na escrita do seu novo livro, que extrapola o conceito convencional de biografia

Itinerância na Alemanha

EDITARES e OIC participaram pela primeira vez da Feira do Livro de Frankfurt

Itinerância em Portugal

Coordenação da ASSIPI avalia possibilidade de abertura de unidade em Portugal